segunda-feira, 28 de março de 2011

RETROanálise - Crysis Warhead






Comemorando o lançamento de Crysis 2, a MEGAbit preparou uma super análise de Crysis Warhead.

   A alemã Crytec ganhou o mundo em 2004 quando assombrou a todos com Far Cry, um avanço técnico para época. Com vontade de ir além, ela vendeu a franquia Far Cry para a UBI SOFT e apostou todos os investimentos em Crysis, que foi lançado em 2007 e vendeu um total de 3.000.000 de unidades, um sucesso! Em 2008 a Crytec brindou o mundo com um novo game,  Crysis Warhead, com uma jogabilidade diferenciada do anterior e gráficos melhorados. Conheça agora Crysis Warhead e fique preparado para jogar Crysis 2.
   O primeiro Crysis se passa em em 2020. Arqueólogos americanos em uma ilha perto da Coréia do Norte acham uma nave alienígena. Porém, o governo da Coréia do Norte envia soldados imediatamente para o local e você, um soldado exemplar da Força Delta do exército dos Estados Unidos da América, é enviado para investigar o local. Crysis Warhead é uma história paralela ao primeiro jogo, se passando em outra parte da mesma ilha próxima a Coréia do Norte. O jogador está no papel do sargento Michael Sykes, que deve rastrear um carregamento do exército norte coreano, que tem um míssil nuclear que pode ser usado para destruir a nave alienígena.



GRÁFICOS
   Falar da parte gráfica de qualquer projeto da Crytec é elogiar. Crysis Warhead exige a mesma configuração do primeiro game, mas impressiona ainda mais pelo realismo e pelo detalhismo de tudo que é apresentado. Os gráficos são extremamente envolventes, o jogador realmente acredita estar naquele local, é como se o monitor do PC se tornasse uma janela da história e da ação.  Claro que a brincadeira ocupa 15 Gb do HD, exige um processador Pentium IV de 2.8 Ghz e uma placa de vídeo ATI Radeon 9800 PRO, isso para rodar o jogo no mínimo. Bom, mas vale a pena, pois este game apresenta gráficos dignos ou até melhores que consoles como PS3 podem fazer. Um exemplo do preciosismo gráfico, ocorre uma seqüência em que você está passando por dentro de umas barracas de praia com teto de palha e é possível ver a palha se movimentando de acordo com as modificações que o ar sofre em razão da explosão de bombas, um show!
NOTA: 10



SOM
   A trilha sonora em si é um conjunto de sons ou músicas extremamente discretas que dá o tom do momento da ação, algo que acontece em games como Metal Gear Solid, mas o que chama atenção é o detalhismo sonoro do game. Não é só o som de um tiro que você ouve, é o ruído do motor do carro, é o barulho da areia da praia sendo removida pelos seus pés ou pelo carro que você dirige, é a percepção da chegada do helicóptero do inimigo em razão do ruído trazido pelo vento. Este game tem um detalhismo sonoro digno de jogos como MGS 3 e Batman: Arkham Asylum. Ligue o som do seu PC bem alto e aproveite! Recomendo o uso de sistema de som com subwoofer, usar somente aquelas caixas de som de PC simples vai fazer a experiência ficar menos envolvente.
NOTA: 10



JOGABILIDADE
   O jogo oferece muitas horas de diversão e muitas novidades em relação ao primeiro game. A jogabilidade continua focada na sua armadura com super-poderes, como invisibilidade temporária e super-força. Novas armas foram adicionadas, como minas para destruir tanques, e novas metralhadoras. Além disso este jogo apresenta uma mudança de foco. Enquanto o primeiro game se concentrava na exploração, este se concentra na ação, é tiro, bombas, perseguição em veículos, é ação variada e incessante. Destaque também para os acostumados a jogar em videogame ao invés de PC, este jogo possui suporte a controle, tornando a jogabilidade mais simples para que não está acostumado a jogar no computador.
NOTA: 10



REPLAY
   PONTO POSITIVO para Crysis Warhead neste quesito. Parece que o jogo foi pensado no fator replay, Crysis Warhead vem junto de um segundo disco, chamado Crysis Wars, nele vem 21 novos mapas, modos de jogo que faziam parte do primeiro game e um ótimo multiplayer. Com extras tão robustos o fato replay deste jogo é alto.
NOTA: 10




ORIGINALIDADE
   Crysis Warhead não inventou a roda, mas soube usá-la muito bem, o jogo é equilibrado, variado e divertido. Crysis Warhead acaba adicionando e muito ao gênero de tiro em primeira pessoa, mas não revoluciona, vale a pena conhecê-lo.
NOTA: 8,0



AVALIAÇÃO FINAL: 9,6
   Crysis Warhead é obrigatório mesmo para os que não curtem o gênero. Sua história é simples e divertida, sua jogabilidade é rica e extremamente variada, seu fator REPLAY é altíssimo e seus gráficos... bom, seus gráficos são soberbos, é o tipo de jogo que deve estar presente em qualquer coleção.


A nota do game é obtida somando-se todos os quesitos e dividindo por cinco.
Por ConstancioH

Conheça nossas matérias EXCLUSIVAS sobre o mundo dos games, clique aqui.
Quer receber sempre as atualizações das notícias? Siga-nos no Twitter - http://twitter.com/#!/MBgamenovo

Nenhum comentário:

Postar um comentário