quinta-feira, 24 de março de 2011

Matéria EXCLUSIVA - CD-I: O videogame que NÃO ERA DA NINTENDO e teve vários jogos Mario e ZELDA.



A MEGABIT apresenta a história do aparelho teve vários jogos ZELDA, o aparelho que teve vários jogos Mario, ele é o Philips CD-I (?).



Nos anos 80 e início dos 90 o videogame era coisa de criança, apesar de faturar muito este era um mercado visto com um certo preconceito pelas grandes empresas, videogame não era pra toda família, videogame não juntava todos na sala de estar. Somente com o surgimento do Plasytation é que a coisa começou a mudar, mas antes disso o que a indústria fez para tornar o videogame um aparelho para toda família?
Com o advento do CD, várias empresas criaram os chamados interactive player systems, que eram aparelhos que usavam CD’s para rodar programas educativos, enciclopédias, jogos simples, CD’s de música e até mesmo filmes. O primeiro destes aparelhos foi o CDTV, lançado pela COMMODORE da Inglaterra, depois veio 3DO (com muitos jogos e enciclopédias), AMIGA CD 32, Laseractive, Tandy Video Information System e o Philips CD-I. todos estes aparelhos tinham como único objetivo tornar o videogame um objeto atrativo para toda família.
Com este foco a Philips e a SONY começa a trabalhar em 1984 no projeto CD Interativo (CD-I), um formato de CD que ia além do áudio. O CD-I foi anunciado em 1986  e lançado para todo mercado em 1991. A configuração era boa mas não muito avançado, ele usava um processador Philips 6807 de 16-bits (um processador com a mesma capacidade do Mega-Drive) e poderia reproduzir jogos e enciclopédias CD-I , CD de áudio e com a ajuda de um acessório poderia reproduzir filmes também no formato VIDEO CD (o formato VIDEO CD foi criado para este aparelho, mas acabou se popularizando e passou a ser usado em outros videogames, DVD’s e etc). a Philips procurou fazer um bom dever de casa, para ajudar a popularizar o seu CD-I ela autorizou que outros fabricantes fabricassem o aparelho, assim o CD-I estaria a venda em mais lugares, havia “CD-I’s”  da SONY, Goldstar, Kyocera, LG e etc. Tudo estava muito bem planejado, e em 1991 o CD-I foi lançado por U$s 700,00.... isso mesmo.... U$S 700,00.... não tinha como funcionar.....

video
Comercial do CD-I

A Philips assinou um contrato com a Paramount e todos os filmes do estúdio foram lançados em VCD (que tinham uma imagem boa para época), varias enciclopédias interativas e livros foram lançados para o formato, mas os jogos eram poucos e ruins, as vendas estavam muito fracas. Mesmo assim a empresa continuou investindo em propagandas e fazendo novos contratos para lançar mais jogos. O problema é que esses jogos já estavam disponíveis em outras plataformas, eles era Dragon’s Lais, Myst, Space Ace, Tetris... ou seja, nenhum jogo que faria alguém dar U$s 700,00 no aparelho. Em 1994 a Philips percebendo que o aparelho para família estava fadado ao fracasso modificou o seu foco, relançou ele com um novo design, novo preço de U$S 299,00 e passou a divulgar o CD-I como um videogame. 
A Philips estava animada, como resultado de anos de colaboração com a NINTENDO (desenvolvendo o Super Nintendo CD, acessório nunca lançado) a empresa holandesa ganhou o direito de lançar alguns jogos da gigante japonesa para o CD-I, os jogos foram   Link: The Faces of Evil, Zelda: The Wand of Gamelon e Zelda's Adventure , todos games da franquia ZELDA, infelizmente estes jogos não foram desenvolvidos pela NINTENDO e sim pela Philips, os jogos foram tão ruins que acabaram entrando na lista dos piores jogos da história. Além dos games ZELDA o CD-I teve jogos Mario, eLe foi o HOTEL Mario, um quebra cabeças, este jogo não foi desenvolvido pela NINTENDO.

Zelda's Adventure

Hotel Mario

Em 1995 a situação era crítica para o CD-I, apesar das boas vendas do VIDEO CD (principalmente no Japão, onde o formato é mais popular que o DVD até hoje) o aparelho e os jogos não estavam vendendo nada, novos jogos estavam sendo lançados, principalmente jogos para família baseados em programas de perguntas e respostas populares na TV (Jeopardy!, Lingo e etc), mas infelizmente o aparelho da Philips não fazia frente aos novatos Playstation e SATURN. Em 1997 em uma tentativa de manter interesse do público no aparelho a empresa lança um MODEM para acesso a internet, mas era tarde, em 1998 a Philips encerra a carreira do CD-I, com somente 570.000 aparelhos vendidos, o último game, Solar Crusade é lançado no mesmo ano. Dentro da sua proposta ele funcionou, mas o alto preço e a concorrência forte impediram que o CD-I ganhasse alguma expressão no mercado, hoje em dia ele é um dos videogames mais caros e raros vendidos em sites de leilão, graças ao pouco número de aparelhos fabricados. 

Por ConstancioH

Conheça nossas matérias EXCLUSIVAS sobre o mundo dos games, clique aqui.
Quer receber sempre as atualizações das notícias? Siga-nos no Twitter - http://twitter.com/#!/MBgamenovo





Um comentário:

  1. Ótima matéria! Lembro que queria um CD-I mas o importado era muito caro.

    ResponderExcluir